Criação de grupos técnicos para troca de conhecimento sobre temas relevantes para a estratégia de inovação da organização

8.2.1 Reunião periódica de grupos temáticos para troca de conhecimento

Nível

​Básico

Estamos em busca de conteúdo para

esta prática.

Você gostaria de compartilhar um case

de sucesso?

Conhece algum vídeo, artigo ou

apresentação legal?

Como executar

  • Identificar temas cuja discussão seja do interesse de diferentes áreas da organização.

  • Avaliar a pertinência da criação de um grupo temático.

  • Definir características do grupo, incluindo:

    • Participantes e coordenador(es);

    • Objetivos gerais do grupo e entregas esperadas;

    • Periodicidade de reuniões;

    • Dinâmica de trabalho.

  • Realizar as reuniões.

  • Disseminar resultados gerados na organização e propor linhas de ação.

Resultados e Benefícios

Os grupos temáticos permitem o contato entre colaboradores de áreas diferentes, com conhecimentos e perspectivas distintas, para discutir um tema de interesse da organização. Isso permite:

  • Garantir o compartilhamento das experiências e aprendizados individuais relativos ao tema de interesse.

  • Gerar soluções mais completas, aproveitando a diversidade de perspectiva dos envolvidos.

Onde é aplicada

Os grupos temáticos de troca de conhecimento são especialmente úteis em organizações de grande porte.

Relacionamento com outras Práticas

Dicas úteis

01

A criação de grupos temáticos pode ser motivada por algumas situações, tais como:

02

É importante definir critérios claros para aprovação de um grupo temático, de forma a tornar o processo menos subjetivo. Deve-se ter atenção, no entanto, para que o processo não se torne burocrático demais e aumente o risco de atrasar desnecessariamente essa aprovação.

03

Para que os grupos temáticos tenham sucesso, é importante que o tema de fato seja relevante para a organização, estimulando a adesão dos participantes. Para isso, é interessante haver mecanismos que permitam aos colaboradores propor a criação de grupos temáticos.

Quando os Grupos Temáticos para Troca de Conhecimento tiverem ênfase técnica e não deliberativa, deve haver fóruns específicos para tomada de decisões, que podem ser Comissões Temáticas para Tomada de Decisão.

Os Grupos Temáticos também podem ser uma importante fonte para a Inclusão da Temática de Tecnologia e Inovação no Planejamento Estratégico.

  • A percepção de que um tema específico tem ganhado importância para diversas áreas da organização, sendo avaliado individualmente para cada uma;

  • O surgimento de uma tendência tecnológica ou de mercado que exija uma atuação coordenada de diversas áreas da organização;

  • O surgimento de um desafio operacional recorrente – por exemplo, falhas sistemáticas em determinado produto – cuja solução exija o envolvimento de diversas áreas.

O papel do coordenador é crucial para o bom andamento do grupo, em especial em seus momentos iniciais. Suas atribuições podem incluir:

04

  • Definir a pauta e agendar a data junto aos participantes;

  • Alinhar com os membros sobre a participação e preparar materiais para a reunião;

  • Realizar a reunião e consolidar as discussões em atas, relatórios e afins.

Os grupos temáticos costumam possuir uma ênfase técnica e não deliberativa, de modo que seu foco deve estar no compartilhamento de conhecimento, e não na tomada de decisões.

05

Os colaboradores devem ser conscientizados de que o grupo temático possui caráter técnico e que, portanto, as diferenças hierárquicas não devem influenciar as discussões.

06

Estamos em busca de conteúdo para

esta prática.

Você gostaria de compartilhar um case

de sucesso?

Conhece algum vídeo, artigo ou

apresentação legal?