Realização de ciclos curtos de experimentos com o objetivo de testar, da forma mais rápida e barata possível, a validade das suposições que sustentam o modelo de negócio que se pretende implementar

5.1.1 Validação de modelo de negócio através de MVP (Mínimo Produto Viável)

Como executar

Descubra Mais

Steve Blank (considerado o principal idealizador da abordagem de Lean Startup) resume a “arte” de se criar um MVP

Confira nesse vídeo a história por traz da criação do Dropbox, e como ele foi construído a partir da abordagem de Lean Startup

Assista a uma palestra de Eric Ries (grande responsável por popularizar o método de MVP) na Universidade de Stanford

ecorner.stanford.edu

Nesse artigo da HBR, Steve Blank escreve sobre a abordagem de Lean Startup e o método de MVP

 

hbrbr.com.br

Veja como a GE vem aplicando a abordagem de Lean Startup nos seus negócios

hbr.org

Confira dicas sobre como lançar MVP em empresas de grande porte

hbr.org

  • Documentar o modelo de negócio que se pretende implementar

  • Levantar as suposições que estão por trás do modelo de negócio e descrevê-las na forma de hipóteses a serem validadas

  • Avaliar a criticidade das hipóteses levantadas e definir as que deverão ser avaliadas prioritariamente

  • Planejar o Produto Mínimo Viável (MVP). O MVP pode ser pensado como um experimento que testa alguns aspectos do modelo de negócio a ser implementado. O planejamento do MVP deve conter:

    • A definição das hipóteses a serem testadas

    • A descrição do experimento, identificando quais características são importantes para que as hipóteses possam ser testadas

    • As métricas a serem utilizadas para avaliar a validade ou não de cada hipótese testada

  • Executar o experimento, coletando métricas quantitativa

  • Observar e conversar com os clientes e usuários para obter feedback qualitativo

  • Revisar as hipóteses com base nos feedbacks quantitativos e qualitativos

  • Se necessário, ajustar o modelo de negócio de acordo com as conclusões obtidas

  • Voltar ao planejamento do MVP e repetir novamente o ciclo

Resultados e Benefícios

O Mínimo Produto Viável favorece o aprendizado sobre um determinado modelo de negócio de forma extremamente rápida e barata. Ele permite:

  • Reduzir os riscos envolvidos na implementação do modelo de negócio

  • Aumentar a aderência das funcionalidades de uma inovação com as necessidades do mercado

Dicas úteis

01

É importante utilizar um framework conceitual para documentar o modelo de negócio a ser testado. Uma possibilidade muito utilizada é o Business Model Canvas , embora haja outras opções na literatura.

02

  • A importância dessa hipótese para o modelo de negócio como um todo. Uma hipótese que, se não for verdadeira, inviabiliza completamente o modelo de negócio deve ser considerada mais crítica que uma hipótese que, se não validada, traria apenas impactos pontuais

  • O grau de incerteza relacionado à hipótese. Hipóteses para as quais não exista qualquer evidência de que sejam válidas devem ser consideradas mais críticas do que hipóteses suportadas por evidências confiáveis

O Produto Mínimo Viável é aquele que possui as características mínimas necessárias para permitir que uma ou mais hipóteses sejam testadas. Isso significa que o MVP deve ser o mais simples possível para possibilitar a avaliação da hipótese

As métricas monitoradas devem ser, de fato, relevantes para a validação das hipóteses a serem testadas. Nos primeiros ciclos, essas métricas devem ser simples. Na medida em que se for aprofundando o aprendizado sobre o modelo de negócio, métricas mais complexas poderão ser empregadas para responder a questões mais específicas

03

As análises quantitativas das métricas devem sempre ser complementadas pelas observações e conversas junto a clientes e usuários. As métricas permitem avaliar de forma imparcial se os objetivos do MVP foram ou não alcançados. Entretanto, é o feedback qualitativo que permite entender as causas desses resultados

04

05

Pode ser interessante botar em prática um plano de experimentos constituído por MVPs intermediários. Para isso, é necessário considerar:

  • Qual indicador será utilizado para validar ou não a hipótese

  • Qual o resultado esperado para que se possa considerar que o indicador validou a hipótese

  • Quais são as características essenciais do experimento para que a hipótese possa ser testada de maneira confiável

  • Qual é o plano de trabalho a ser executado para realizar o experimento

06

Onde é aplicada

A prática do MVP se consolidou entre as startups digitais. No entanto, ela pode ser utilizada por qualquer empresa que esteja buscando implementar um modelo de negócio significativamente inovador, independentemente de seu setor de atuação ou tamanho.

Relacionamento com outras Práticas

A avaliação de criticidade das hipóteses deve considerar dois aspectos principais:

  • Exemplos de MVP podem incluir: criar uma página na internet e pedir que os clientes interessados no produto cadastrem o seu e-mail; buscar a realização de vendas antecipadas para clientes; construir um protótipo do produto e avaliar a sua performance e/ou usabilidade; etc

  • Mapear exemplos de MVP realizados por outras empresas é uma excelente forma de buscar inspiração para os seus próprios MVP, mesmo quando se tratam de empresas de outros setores

  • É importante que o MVP seja focado na validação de uma ou de poucas hipóteses

A modelagem de negócio com o Business Model Canvas pode ser utilizada para apoiar o levantamento e organização das informações, e levantamento de hipóteses.

Nível

​Intermediário