Dedicação de uma reserva de recursos e orçamento a serem utilizados apenas por projetos alinhados a temas estratégicos previamente definidos

2.2.2 Definição de carteiras estratégicas para prioridades específicas

Como executar

Descubra Mais

Robert Cooper, Scott Edget e Elko Kleinschmidt descrevem um método para a definição de carteiras estratégicas no artigo Portfolio Management – Fundamental for New Product Sucess. 

Faça o download em:

  • Elencar prioridades a partir da estratégia de inovação da organização.

  • Definir as carteiras para cada uma das prioridades estratégicas elencadas, reservando um montante de recursos a serem alocados somente a projetos alinhados a elas.

  • Definir os critérios para avaliar se um determinado projeto deve ou não ser considerado elegível para a utilização dos recursos de cada uma das carteiras (vide Dicas Úteis).

  • Adaptar os processos decisórios de alocação de recursos – como a gestão de portfólio de projetos e o planejamento orçamentário – para assegurar que os mesmos respeitem as carteiras definidas.

Resultados e Benefícios

A definição de carteiras estratégicas dedica recursos específicos para projetos alinhados às prioridades da estratégia de inovação. Isso permite:

  • Evitar que projetos significativamente inovadores e consequentemente mais arriscados sejam despriorizados ao concorrer por recursos com projetos que tragam retorno imediato.

  • Evitar que a execução dos projetos mais estratégicos seja comprometida por falta de recursos.

  • Garantir que a alocação de recursos reflita a estratégia definida.

Onde é aplicada

A definição de carteiras estratégicas para prioridades específicas pode ser usada em organizações de médio ou grande porte, que possuam um processo de alocação de recursos estruturado, em qualquer setor.

Relacionamento com outras Práticas

Dicas úteis

01

02

03

O plano de desenvolvimento tecnológico é uma fonte de informações importante para a decisão sobre quais são critérios serão usados para avaliar se um projeto é ou não estratégico.

Para definir-se os projetos que poderão utilizar os recursos de cada carteira, podem-se combinar diversos critérios. Alguns exemplos de critérios são:

  • Linha de negócio/Linha de produto;

  • Segmento(s) de mercado atendido(s) pelo projeto;

  • Tecnologia utilizada;

  • Natureza da inovação (melhoria de processo, desenvolvimento de novo

Um conceito muito utilizado para auxiliar a definição de carteiras estratégicas é o de horizontes de crescimento. Neste caso, os projetos são classificados dentro de três horizontes de crescimento:

  • H1: Projetos relacionados ao mercado atual, focados em melhorias nos produtos existentes e reforço e expansão das competências centrais. Usualmente, trata-se de projeto focados em garantir a lucratividade de um negócio maduro.

  • H2: Projetos que buscam oportunidades de crescimento em áreas adjacentes ao negócio principal. Usualmente trata-se de projetos que buscam expandir negócios com grande potencial.

  • H3: Projetos voltados para testar novas oportunidades de crescimento. Usualmente, trata-se de investimentos em experimentos em novos negócios que ainda não geram lucro.

Para subsidiar a discussão sobre o montante de orçamento e recursos a serem dedicados a cada carteira, pode ser interessante levantar a alocação atual de recursos nos diferentes tipos de projetos. A partir da visão do portfólio atual, pode-se então discutir de que maneira se gostaria que o portfólio evoluísse.

Em alguns casos, pode ser interessante centralizar a decisão de priorização de projetos de cada carteira na figura de um gestor de carteira.

04

É recomendado revisar a definição das carteiras periodicamente para garantir o alinhamento com os novos direcionamentos da estratégia para inovação.

05

Nível

Avançado​